sexta-feira, novembro 10, 2006

POIARES - Explosão destruiu casa .Houve milagre

Ainda não se conhecem os porquês, mas a destruição marcou encontro, na última madrugada, com uma residência, em Poiares. Uma explosão destruiu uma casa e debaixo dos escombros, quase sem um arranhão, ficou o proprietário Manuel dos Santos, de 58 anos, residente na localidade de Vendinha, freguesia de Santo André, Vila Nova de Poiares, terá razões de sobra para agradecer aos céus. Isto porque escapou, praticamente ileso, de um acidente que lhe poderia ter custado a vida. Uma explosão, provocada por causas ainda desconhecidas, destruiu-lhe a casa enquanto dormia e os escombros caíram-lhe em cima. Valeu-lhe a mesinha de cabeceira, que criou um vão de respiração, e a sorte, que impediu que os tijolos, barrotes e telhas o esmagassem.
A casa ficou desintegrada, os Bombeiros de Poiares, que foram alertados para a situação às 2h30 da madrugada, por vizinhos de Manuel dos Santos. A primeira informação dirigida aos bombeiros apontava para uma explosão e consequente destruição da habitação, na localidade de Vendinha, e para o facto do proprietário e único habitante se encontrar, aos gritos, debaixo dos escombros.
O homem estava deitado na cama, com as pernas presas, debaixo de um amontoado de escombros, sendo a mesinha de cabeceira que acabou por salvar a vida de Manuel dos Santos.
Mais 30 bombeiros foram ao local, que permitiram acelerar a tarefa de retirar os escombros para recuperar a vítima.
Manuel dos Santos, reformado, divorciado, seguiu numa ambulância para os Hospitais da Universidade de Coimbra, onde após ter efectuado os necessários exames, pôde regressar, cerca das 5h00, a Vila Nova de Poiares, tendo apenas sofrido escoriações muito ligeiras.
Havia portas, janelas, tijolos e telhas espalhados por um raio de 40 metros de distância da casa, e os estilhaços da explosão provocaram alguns danos nas casas da vizinhança, para além de terem causado danos elevados em três viaturas que se encontravam estacionadas junto à casa, uma do proprietário e outras duas dos vizinhos.

12 comentários:

A Pito Dourado disse...

Não vem a propósito, mas gostei de ver a Carrito na Lousã, na feira do mel e da castanha !
Porra, a gaja está fresca !
E mais simpática, quando não vem acompanhada!?...

Quanto ao resto... de facto foi milagre!

Anônimo disse...

Milagre é o "fidel castro" de Poiares não ter oposição nem na camara nem na assembleia!

Abade de Castro Laboreiro disse...

Razões tu tens meu filho, que nossas serão !...

Elvira do cruzamento disse...

Ora tomem lá mais esta: "Canil da Agir gera controvérsia em Poiares (título)
O abrigo para cães que a Associação Agir pelos Animais mantém em Santa Maria, Vila Nova de Poiares, é o centro da discórdia entre autarquia e defensores dos caninos. Uma situação que ontem descambou em ameaças e tentativas de agressão.
Samuel Vieira, dirigente da Agir, é acusado pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Poiares de ter tentado agredir dois funcionários camarários que se deslocaram ao local onde estão recolhidas algumas dezenas de cães abandonados. De acordo com Jaime Soares, os dois funcionários da autarquia deslocaram-se ontem ao local, em Santa Maria, com intenção de fotografar a situação em que se encontram os animais que, na óptica do edil, «estão ao abandono», com o objectivo de fazer chegar as imagens à Imprensa.
O dirigente da associação terá tentado impedir a captação das imagens, alegadamente com recurso à violência. «Ainda chegou a mão ao fotógrafo e cuspiu-lhe», diz o presidente da Câmara de Poiares, frisando que Samuel Vieira ainda terá dado um murro no espelho da carrinha em que se faziam transportar. «O senhor Samuel Macedo assumiu os actos à Polícia Municipal», disse o autarca, sublinhando que, na sequência desta ocorrência «vou accioná-lo judicialmente».
O diferendo entre a Agir e a Câmara de Poiares tem cerca de 13 anos. A associação instalou--se na ?Quinta da Moenda?, junto à localidade de Santa Maria e foi recebendo animais abandonados até que, em Junho deste ano, teve que retirar os mais de 200 cães que estavam no local.
A verdade é que actualmente já estão no local algumas dezenas de canídeos, o que levou a autarquia a emitir um aviso para a retirada dos animais no prazo máximo de cinco dias, após o que são recolhidos pelos serviços municipais.
Samuel Vieira ripostou e enviou um comunicado à Imprensa onde manifesta repulsa pela atitude do autarca, acusando-o de ter inviabilizado a construção de um canil «adequado ao concelho».
O edil de Poiares ficou ?tocado? por ter tido conhecimento do comunicado da Agir através dos jornalistas e lançou que «o texto está eivado de grosseiras mentiras e o seu autor é um perigoso mentiroso, já que quer fazer passar para a opinião pública uma escabrosa, uma despudorada mentira»".
Fonte: Diário de Coimbra

Abade de Castro Laboreiro disse...

É um SANTO o Jaiminho, afinal !...

Anônimo disse...

Coitado do Homem mais uma vez na baila

Anônimo disse...

Mas afinal o que tem isto a ver com a explosão?

Anônimo disse...

O que vai explodir é a gestão autarquica porque cada vez há menos verbas graças à gestão do fidel.Coitado de quem vier a seguir.

Anônimo disse...

Ah! então é essa expulsão de que oiço falar.Mas o Homem safa-se.

Anônimo disse...

Mas quem vem a seguir?????

Anônimo disse...

O correcto no meio desta situação ( da AGIR vs Pres.Câmara) seria a câmara contribuir para alimentação e bem estar dos animais.Mas parece que não é isso que acontece infelizmente.
E ao que parece a iniciativa é privada, o terreno foi cedido por um(a) particular, e a alimentação e restante tratamento dos animais que são abandonados naquela zona,é feito graças à boa vontade dos elementos da Agir.
Coisas que para "determinadas" pessoas custa a compreender...
pobreza de espírito isso sim!

Anônimo disse...

Concordo na totalidade