quinta-feira, maio 17, 2007

Será que a Confraria da chanfana consegue evitar rivalidades ?


A Confraria da Chanfana pretende que o presidente do município de Poiares coloque de lado as rivalidades sobre a "paternidade" deste prato típico e vai convidar várias autarquias "com tradição genuína na confecção de chanfana,tendo como base a carne de cabra", para um megaevento, que se realizará, no próximo fim-de-semana, no Mercado de Poiares. A inciativa, denominada "A Chanfana - Património do Receituário Português", pretende elevar "ao expoente máximo esse prato de excelência do património gastronómico português" através da degustação dos vários saberes e tradições oriundos de cada um dos concelhos presentes. No Mercado, estarão várias tasquinhas, uma de cada município, que vão servir o prato à sua maneira. Além da chanfana do anfitrião concelho de Poiares, os comensais poderão apreciar os condimentos de Lousã, Arganil, Penacova, Mealhada e do vizinho e rival em termos gastronómicos, Miranda do Corvo. Recorde-se que os municípios de Poiares e de Miranda do Corvo têm confrarias para promover a chanfana e que, anteriormente, se envolveram em acesa polémica relativamente à origem da iguaria, afirmando-se, em acções promocionais, uma como Capital Universal da Chanfana e outra como a Capital da Chanfana.

8 comentários:

Anônimo disse...

Todos sabem que não é meu hábito tecer comentários aqui no vosso blog sobretudo porque não me sinto à vontade para o fazer, já que conheço pouco das pessoas com quem aqui se lida por ter estado ausente de Poiares cerca de vinte anos e não ter convivido com o crescimento de uma geração que tem feito vida em Poiares e arredores. Mas hoje tenho de fugir à excepção e dizer alguma coisa.
O anonimato é fundamental para a democracia? Não. A existência do direito ao anonimato é uma prova de que há democracia suficiente para debater um assunto sem ter nenhum tipo de represálias. Estou de acordo com quem diz que para o simples debate e análise, o anonimato não tem qualquer problema. Quanto a acusações, devem ser feitas por não-anónimos. Mas não é por serem feitas por anónimos que são falsas, nem é por serem feitas por não-anónimos que são verdadeiras...
O comportamento de muitos anónimos em discussões em blogues é por vezes, deplorável. Talvez devesse existir uma "carta dos direitos e deveres dos comentadores anónimos. Mas, no fundo, o anonimato na blogosfera não é assim tão prejudicial como dizem... porque a maioria dos anónimos apenas comentam a actualidade, falam da sua vida etc... os que usam o anonimato para levantar acusações são poucos. O anonimato é uma das facetas da blogosfera, uma das escolhas que a blogosfera nos dá. Se alguém se sente mais à vontade para comentar a actualidade sem dar a sua real identidade, qual é o problema?
O genuíno comentador anónimo de blogs desejaria não ser anónimo, mas muito conhecido. No entanto, tem medo de pôr o nome e, se assinasse com ele, não teria coragem de escrever o que habitualmente escreve. O nickname é a solução para ter nome, não o tendo. O comentador com nickname deseja, ao mesmo tempo, ser anónimo e ter uma identidade como comentador reconhecida inter-pares nas caixas de comentários.
O comentador anónimo com nickname escreve compulsivamente em todas as caixas de comentários abertas que encontra, escolhendo de preferência as dos posts com mais leitores. Por isso estamos de parabéns e assim iremos continuar.
Da extracção do Pericles

Anônimo disse...

A comer é que a gente se entende!
Se for à mesa é bom, se for na cama (ou na horizontal) tanto melhor (para o duo).

Anônimo disse...

Relativamente ao 1ºcomentário, só não estou de acordo com a frase: "escolhendo de preferência os posts com mais leitores",só para ser bastante conhecido? Independente do anonimato, tem dó.

Anônimo disse...

Aí está uma iniciativa correcta, as guerras e guerrinhas não interessam a ninguém.
O (pequeno) País é só um e tem tudo a ganhar com a unidade na diversidade.
Agora os Municípios (da chanfana) unidos nunca mais serão vencidos.
Parabéns a quem teve a lucidez e o pragmatismo de organizar esta iniciativa conjunta em que TODOS ganharão.

Anônimo disse...

Ainda bem que existe iniciativas destas para não haver "guerras" entre municípios. Blog de Alveite e Moura Morta também falam bem de Poiares!

a raça disse...

Pois falam e este tambem fala bem de Poiares e parece que so não fala mais porque enquanto uma avantesma estiver à frente do municipio nunca Poiares terá sossego nenhum. Ha que dar tambem a conhecer as miserias que por ca ha. Para dizer bem, está ele e a Carripanaque é muito pouco para ter uma raça certificada.

Anônimo disse...

Foi quase vergonhosa a afluência a este evento. Já tudo anda farto de "cabras velhas, tipo escarrito", levam-as do distrito para fora, elas não prestam, ponham-as na serra, mas da estrela.

papão disse...

Com tanto alarido as pessoas ja começam a ficar fartos de tanta chanfana. Em vez de se preservar o patrimonio gastronomico e para isso eram antigamente criadas confrarias, agora ve-se comportamentos de tal maneira tranviados que:
-a Confraria da Chanfana acaba por ser um grupelho de amigos do Mor-casal.
- são ordenados Confrades individuos que nem sabem o que é chanfana, que nem gostam dela, e outros cuja religião não lhes permite comer tal iguaria.
- a promoção de capitais universais e mundiais foram uma patetice monstra que caiu no ridiculo, expondo os poiarenses a figuras caricatas como a figura do Ze Povinho com barbas e tudo.
- a pressão para que os restaurantes so divulguem chanfana, a qual é feita agora a martelo com animais de proveniencias duvidosas.
Por tudo isto os poiarenses ja não foram em cantigas e não compareceram às festividades chanfanescas.
Que pena terem estragado a chanfana desta maneira.
So quando voltar a ver cabras nos montes a roçar os matos é que acreditaremos na eficiência da prevensão dos fogos e nas qualidades da chanfana e do cabrito assado no forno.